Atualidades

Nutrição, Osteoporose e Saúde da Mulher

Ontem foi o Dia Mundial e Nacional de Combate a Osteoporose (20/10), data que visa promover maior conscientização sobre o diagnóstico, tratamento e também prevenção.  

Há diversos fatores que podem aumentar o risco de desenvolvimento de osteoporose e fratura óssea, como o histórico familiar, idade superior aos 60 anos, falta de exposição solar, diabetes e outras condições clínicas. 

No caso da saúde da mulher há particularidades que aumentam ainda mais esse risco, como alterações hormonais no período da menopausa. Tanto a prática da atividade física regular quanto a adesão à alimentação adequada são fatores preventivos. (1)

É atribuição do nutricionista realizar ajustes no consumo alimentar, o adequando de forma preventiva para condições clínicas, como a osteoporose. Além da intervenção dietética, novos suplementos e outras alternativas têm surgido nos últimos anos. 

Hoje trouxemos a adaptação e tradução de uma meta-análise sobre o possível efeito terapêutico de probióticos na densidade óssea em mulheres pós-menopausa. 

Introdução

Osteoporose e fraturas ósseas acontecem com maior frequência em mulheres pós-menopausa, principalmente pelo declínio natural de estrogênio, impactando na massa mineral óssea. Buscando alternativas terapêuticas o uso de probióticos tem sido estudado. Essa revisão sistemática e meta-análise buscou avaliar os atuais resultados dessa intervenção.

Metodologia

O protocolo PRIMA foi utilizado para a análise em questão, apenas estudos com controle randomizado e estudos de coorte foram incluídos.

Resultados e Discussão

Um total de 604 artigos foram identificados, 547 não preenchiam os critérios de inclusão e apenas cinco foram selecionados; a amostra correspondeu a um total de 497 mulheres pós-menopausa. 

Os resultados apontam que o uso de probióticos de forma suplementada diariamente, de 24 semanas a 12 meses, pode reduzir a perda de massa óssea, quando essa intervenção é comparada com placebo. 

Alterações na microbiota intestinal promovem mudanças na expressão de mediadores inflamatórios, podendo impactar o hospedeiro de diversas formas, como na saúde óssea. Osteoblastos e osteoclastos podem ter seu funcionamento alterado por exemplo, dessa forma, probióticos podem exercer um papel regulatório

Conclusão 

A suplementação de probióticos foi associada com a preservação de massa óssea. Futuros estudos são necessários para avaliar essa indicação terapêutica, considerando as limitações atuais sobre a temática, como o reduzido número de estudos avaliados. 

Para acesso ao artigo na íntegra acesse esse link 🙂

Boa leitura, até mais!

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *